• Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Vozes femininas na literatura (edição Leme)

A Editora Mireveja dá andamento ao projeto Vozes femininas na literatura com a publicação de sua segunda coletânea de contos e crônicas escritos por mulheres, trazendo temas pertinentes ao universo feminino nos dias de hoje. O projeto tem o objetivo de fazer com que mais autoras publiquem seus textos em livro físico com a chancela de uma editora e, assim, sejam inseridas no mercado editorial, movimentando-o.

Se na primeira edição foram selecionadas mulheres da cidade Bauru, onde está sediada a Editora Mireveja, desta vez escolhemos a cidade de Leme, também no interior de São Paulo, terra natal do nosso editor, João Correia Filho, e local de grande potencial literário e artístico.

Conheça as escritoras lemenses selecionadas

O projeto Vozes femininas na literatura/edição Leme anuncia os nomes das autoras que farão parte da sua nova coletânea de contos e crônicas, cujo lançamento está previsto para maio/junho de 2021.

Ao todo, foram inscritos mais de 40 textos, de 31 mulheres. Entre as 18 selecionadas estão escritoras experientes, como Jéssica Anitelli, com mais de um dezena de livros publicados, e autoras que terão seus textos em livro físico pela primeira vez, como é o caso da artista plástica Kuka Magalhães. A diversidade da publicação também fica evidente na idade das participantes – da jovem Thaís Alves, de 18 anos, até Maria Augusta Silva Antonio, que aos 80 anos faz sua estreia em uma publicação.

Bel Parolim, organizadora da obra, destaca que a coletânea trará um panorama muito rico de assuntos que tocam as mulheres. “A solidão, a violência, a morte, os amores e os conflitos geracionais e pessoais estão entre os temas tratados no livro, que traz desde textos bem-humorados a textos densos, capazes de nos fazer chorar”, afirma.

Criado pela Editora Mireveja, que é de Bauru mas tem à frente o jornalista lemense João Correia Filho, o projeto está em sua segunda edição (a primeira reuniu 21 escritoras bauruenses). O objetivo é fazer com que mais autoras publiquem seus textos em livro físico com a chancela de uma editora e, assim, sejam inseridas no mercado editorial.

Financiamento coletivo

 

Assim como a edição bauruense do Vozes femininas na literatura, a edição lemense será viabilizada com financiamento coletivo, via plataforma Catarse.me. Nesse sistema, quem compra o livro antecipadamente ajuda a custear sua produção. No caso da edição de Bauru, o projeto bateu 110% da meta de venda, com mais de 500 exemplares adquiridos por leitoras e leitores de 13 estados brasileiros. Na ocasião de seu lançamento, O vazio não está nem quando é silêncio – vozes femininas na literatura (título da edição bauruense) esteve também na Feira do Livro de Frankfurt (na Alemanha), a maior feira do mercado editorial, e algumas de suas autoras participaram da programação do evento.

 

Em Leme, a ideia é unir o financiamento coletivo ao apoio de empresas e entidades, que poderão contribuir com o projeto antecipadamente ou via Catarse (as vendas na plataforma começarão em abril), adquirindo exemplares ou lotes de livros com valores promocionais. Empresários interessados devem entrar em contato com a publicitária Renata Chaim (da Pipa Design), que comanda a captação de recursos para o projeto.

ESCRITORAS SELECIONADAS

Aline Archangelo

Berenice de Fátima Taufic Luiz

Evelisie Barbi Mouro

Gisele Santos Fernandes

Isis Táboas

Jéssica Anitelli

Joyce Finato Pires

Julia Cavichioli Gonçalves

Kuca Magalhães

Márcia Rosana Pedro Parolim

Maria Augusta Silva Antonio

Marilia Marchi

Marília Taufic

Meire Contieri

Natasha Romanzoti

Ruth Rendeiro

Talita Horniche

Thais Alves

 

Contato com a organizadora:

Bel Parolim
bel.parolim@gmail.com

(19) 99990 1540

 

Contato Renata Chaim:

19 99950-1545

renata@pipadesign.com.br

O vazio não está nem quando é silêncio

A primeira edição deste projeto, realizada em Bauru, resultou no livro O vazio não está nem quando é silêncio – vozes femininas na literatura. A obra foi viabilizada com recursos de financiamento coletivo, pela plataforma Catarse.me, obtendo 110% de sua meta, com mais de 400 exemplares vendidos. 

Foto: Nádia Maria
Clique pra ampliar