Pequenas Histórias

 

Com Pequenas histórias, Antonio Carlos Rampazzo estreia na prosa com 26 textos que confirmam: tal como na pintura, o olhar para os detalhes, a rica paleta de cores e as pinceladas certeiras são fundamentais para o gênero literário que escolheu para se expressar: o conto. E nisso, vale dizer, não reside nenhuma coincidência. Rampazzo é um artista plástico experiente, reconhecido professor de Belas Artes que, sobre a folha-tela em branco, nos apresenta um infinito de tonalidades e proposições.

Como que munido de uma lupa, Rampazzo nos guia pelas cenas até o ponto de fruição imprescindível. A boca aberta do boi que agoniza na beira do riacho, o copo que simboliza a sutil cumplicidade de um garçom e seu cliente ou, ainda, o ritualístico movimento dos dedos da anciã que separa o joio do trigo. Dessas pequenas preciosidades da vida, o autor alimenta sua ficção, ora leve ora reflexiva, sempre com a surpresa que só os bons contos (e boas pinturas) nos reservam.

Nesse sentido, Pequenas histórias carrega já no título uma certa ironia, na medida em que toma do ínfimo o que é universal. Seus textos confirmam a máxima de que narradores são, antes de tudo, grandes observadores.

Pequenas histórias, vale ressaltar, desdobra-se num díptico – Rampazzo lança-o em conjunto com o livro de poesias Íntimas paisagens. E estabelece, assim, um diálogo entre prosa e poesia que se dá, antes de tudo, através do olhar.

 

Íntimas paisagens

 

Com Íntimas paisagens, Antonio Carlos Rampazzo segue sua trajetória de escritor atento ao mundo e confirma: tal como na pintura, o olhar descobridor, as cores que se misturam para gerar sentido e o fino pincel que traça filigranas são fundamentais no gênero literário que escolheu para se expressar: a poesia. E nisso, vale dizer, não reside nenhuma coincidência. Rampazzo é um artista plástico experiente, reconhecido professor de Bela Artes que, sobre a folha-tela em branco, nos apresenta um infinito de tonalidades e proposições.

Como que por uma fresta, Rampazzo passeia nosso olhar por cenas amplas, além dos limites impostos pela mancha na página. Seus poemas deslizam pela leveza do haicai, cruzam o verso livre e bebem na fonte do verso mais clássico, que busca a rima, levando-nos a intuir toda uma vastidão por trás daquilo que se avista.

Nesse sentido, Íntimas paisagens carrega já no título uma certa ironia, na medida em que toma do ínfimo o que é universal. Seus textos confirmam a máxima de que poetas são, antes de tudo, grandes observadores.

Íntimas paisagens, vale ressaltar, desdobra-se num díptico – Rampazzo lança-o em conjunto com o livro de contos Pequenas histórias. E estabelece, assim, um diálogo entre poesia e prosa que se dá, antes de tudo, através do olhar.

PEQUENAS HISTÓRIAS + ÍNTIMAS PAISAGENS Antonio Carlos Rampazzo

R$ 80,00 Preço normal
R$ 70,00Preço promocional
  • Antonio Carlos Rampazzo nasceu em Mineiros do Tietê, no interior paulista. Formou-se em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo e tornou-se mestre em Educação, Arte e História da Cultura. Foi professor do Centro Universitário Belas Artes e de escolas públicas. Sua produção nas artes visuais inclui gravuras, pinturas, aquarelas e fotografias. É autor do fotolivro Pelos trilhos (2017)e dos livros Pequenos poemas e outros escritos (2000), Poesia, atalhos, trilhas, traços… (1978) e Cores neutras (1977). Em 2021, lança dois livros - Pequenas histórias e Íntimas paisagens.

  • Pequenas histórias

    84 páginas

    1a Edição

    ISBN 978-65-86638-10-3

    Editora Mireveja

    Capa e projeto gráfico: Karen Uehara

     

    Íntimas paisagens

    80 páginas

    1a Edição

    ISBN 978-65-86638-11-0

    Editora Mireveja

    Capa e projeto gráfico: Karen Uehara